17/03/2010

Libido em alta ou apenas uma brincadeira?



A observação da socialização do meu Shih Tzu tem despertado dúvidas quanto ao seu comportamento: estaria ele 1) demonstrando dominância,2) com a libido em alta ou 3) apenas brincando de ser cão? Seria a castração uma saída ao comportamento indesejado?

A experiência de socializar o meu Shih Tzu, o Aurélio, com outros cães tem sido desastrosa desafiadora. A primeira vez em que desabafei sobre isso trouxe a reflexão de que montar em outros cães não é necessariamente um sintoma de que o seu cachorro está com a libido em alta; ele pode apenas estar demonstrando dominância:

>> O desafio de passear com o Aurélio

Alguns donos com quem esbarro nos passeios arriscam dar palpites em relação ao comportamento do Aurélio:

a) Libido: o Aurélio é tachado de adolescente safado (está com oitos meses);
b) Dominância: o Aurélio, mesmo tendo um porte pequeno, é arrogante o bastante para defender sua dominância (o conceito de dominância em alguns nichos está em desuso);
c) Brincadeira: o Aurélio é apenas uma grande criança!

O que eu gostaria que fosse verdade? A letra “c”, sem dúvida. Gostaria que tudo não passasse de uma grande brincadeira!


Aurélio: instinto dominante aflorado.


Linguagem corporal

A linguagem corporal dos cães ainda é, para mim, um desafio e certamente tema de um próximo artigo aqui no blog. Já pensei na associação: se ele monta e não faz o movimento de acasalar, é dominância. Se ele monta e faz o movimento de acasalar, é libido. Uma ou outra coisa, ambos são puro instinto animal! E me fazem lembrar que mesmo o Aurélio sendo uma linda bola peluda que quase nunca emite sons, ele é, antes de tudo, um cachorro!

Se eu soubesse interpretar a linguagem corporal do Aurélio de forma correta, poderia diferenciar libido, dominância e brincadeira, assim como um médico é capaz de diagnosticar uma doença a partir da observação atenta dos sinais e sintomas de um paciente. Não sou médica, nem veterinária, sou quase uma mãe! O que já é muita coisa!

Sobre comunicação canina, leia aqui.

Em relação à dominância, o Aurélio:

a) Não é um cachorro agressivo. Raramente late para outros cães, quase nunca rosna e jamais ameaçou morder um par da espécie;

b) Não levanta a patinha para urinar – ainda. Ele está apenas com oito meses e outros donos de cães já me garantiram que levantar a patinha é questão de tempo: mais cedo ou mais tarde vai acontecer. :(

O meu cachorro levantou a pata para urinar mesmo! Veja aqui.

c) Monta nos seus colegas quadrúpedes sem preconceito de sexo: machos ou fêmeas, todos são aceitos pelo Shih Tzu Aurélio.


Em relação ao Aurélio, os outros cães:

Ao se socializarem com o Aurélio, os outros cães apresentam um dos seguintes comportamentos:

a) Submetem-se e deixam que o Aurélio monte neles.
Uma experiência que acontece com a minoria dos cães, mas que desagrada a maioria dos donos. Invariavelmente despedem-se mais ou menos assim: “Fulano, vamos embora”.

b) Cheiram, mas ignoram ou evitam o Aurélio.
Cães que evitam outros cães preferem ignorar a brigar, geralmente são equilibrados e, se fossem humanos, seriam considerados “sábios”.

c) Rosnam, fazem investidas contra o Aurélio, tentam mordê-lo.
Tem sido o caso de maior ocorrência. Vários cães não admitem a dominância do Aurélio e rosnam. Na pior das hipóteses, podem até atacar. Por isso, tenho um grande medo de que, como num piscar de olhos, o Aurélio seja mordido. Na maioria das vezes, os cães estão de frente um ao outro e uma mordida poderia fatalmente cegar o nosso Shih Tzu, cujos olhos são grandes e salientes.


E a castração?


Aurélio: castrar, eu?


Como dona de cão, aventei a possibilidade de “tirar os ovinhos” do meu bichinho. A castração, em machos, acontece por remoção dos testículos, interrompendo a produção de espermatozóides e hormônios masculinos, o que contribuiria para reduzir, no que diz respeito ao comportamento, a agressividade motivada por excitação sexual constante, a fuga de cães, a demarcação territorial (xixi fora do lugar) e o "agarramento" na perna das pessoas.

A castração é apenas uma das formas de se esterelizar um cão. Outros métodos de esterelização são a vasectomia em machos e a laqueadura em fêmeas. A vasectomia e a laqueadura não removem os órgãos sexuais, apenas interrompem os canais reprodutivos, tornando os cães inférteis, isto é, continuam podendo acasalar normalmente, mas são incapazes de gerar novos filhotes.


A castração vai resolver o meu problema?

A castração parece não ser a solução para os "probleminhas" relatados no artigo a partir da minha experiência com o meu cachorro. Veja sobre isso nos comentários deste artigo, a seguir, entre mim e a Tula do Cão Natural. Antes de tomar a decisão acerca da castração do seu cachorro, procure sempre a orientação de um profissional veterinário de sua confiança.


Fontes:
Mitos e Verdades sobre a Castração
Vasectomia e Laqueadura


Leia também:
>> Prós e contras da castração
>> Castração e seus benefícios

16 comentários:

Lola 17/03/2010 21:55  

Oi Tia, obrigada por ter votado em mim!!!!!
Eu sou castrada, nunca tive nenhum cio e pelo o que a mamãe escuta falar de outros yorkshire, me tornei bem mais calma, brinco bastante, mas não estrapolo...
Se você não pensa em procriar o Aurélio acho que a castração seria uma grande saída, fora que traz benefícios enormes para o cachorro e para o dono tb!!!!

Lambibeijokas

LOLA

Camilli Chamone 17/03/2010 22:13  

Socializar os aus com aus estranhos é um assunto complexo, Adriana. Matilha não é família!
Cães vão mesmo querer montar nos outros para demonstrar a sua dominância e alguns brigarão por ela. Faz parte da natureza deles...

:)

Adriana Diniz 18/03/2010 00:48  

Gigi,
Não sabia que a Lola era castrada. Que bom saber que foi tudo bem para ela!
...
Sinto-me cada vez mais pressionada - não que seja ruim - a castrar meu Aurélio. Soube há pouco pelo Mãe de Cachorro que o Senado aprovou projeto de lei adotando a castração como método de controle populacional de cães e gatos.
...
Camilli, comentário importante o seu! Bem, nesse caso, há alguma sugestão para quando eu levar o meu cão para passear? (Acho que você vai dizer que devo castrar...!).

Bjos!

Rachel 18/03/2010 07:56  

Oi Adriana. Passeios são suficientes para promover a socialização. Para aprender a ser cachorro, o Aurélio precisa conviver com semelhantes. Se você tem amigos que têm cães, visite-os, convide-os à sua casa. Leve o Aurélio a parques para cachorros, aqueles fechados em que os cães ficam soltos. Nesses momentos, observe você tambêm a linguagem corporal dos peludos, o que toleram dos outros, o que não toleram, como demonstram descontentamento, como "brigam" com quem não se comporta. Você se comunicará mais facilmente com o Aurélio se aprender a "falar" a língua dele :)

Gigi e Lola 18/03/2010 13:26  

Tia, no meu blog tem tudo sobre a minha castração, desde o dia que mamãe decidiu, até eu ficar 100% recuperada!!!
Dá uma olhadinha

Lambeijokinhas
Lola

Adriana Diniz 18/03/2010 13:42  

Rachel, obrigada por participar (sua primeiríssima participação!Ueba!)
...
É sempre bom compartilhar experiências, todos nós podemos ganhar com isso. E o blog, além de informativo, é um registro das venturas e desventuras do meu cachorro!
...
Eu sempre tive muita vontade de socializar o Aurélio! Principalmente porque achava que fazia muito bem para ele. Só que tenho encontrado dificuldades para isso! Não tenho muitos amigos e parentes com cachorro. Só minha sogra! E o Aurélio não dá folga para a cadelinha: é o tempo todo subindo nela e ela o tempo todo fugindo dele (uma daschund que chama-se Pantera).
...
Também vou pesquisar mais para saber como deve ser feita uma socialização correta, conforme o que a Camilli comentou aqui.
...
Gigi! Vou sim ler!
Bjos!

Janeíse 19/03/2010 14:43  

Olá!

Sugiro a castração sem sombra de dúvidas :P
Os benefícios compensam muito!

Mas leva um tempo para saber interpretar o comportamento dos peludos. Principalmente porque uma única postura pode significar várias coisas, como no caso do Aurélio. Mas é importante ficar atento ao contexto.

Acho complicado socializar com cachorro desconhecido. Tenho receio quanto a isso.

beijos!

Adriana Diniz 19/03/2010 16:55  


Jane!!
O seu comentário sobre a postura do cão vem bem a calhar com a pílula que está hoje na série "Aprenda com o Encantador de Cães" na barra lateral. Dá uma olhadinha!
...
Compartilhar essa experiência rendeu ótimas dicas e sugestões!
...
Bjos!

Tula Verusca 20/03/2010 16:23  

Adriana,
Se ele nao monta por libido a castração de nada adianta.
Se o problema dele for dominancia, castração nada adiantara!!!

Adriana Diniz 20/03/2010 18:18  


Tula, importante sua observação. Já havia pensado nisso também.
O texto Mitos e verdades sobre a castração, do Web Animal e indicada no artigo, diz (Em letra maiúscula, minhas observações):

Para que castrar os machos?
1. Evitar fugas. NÃO É O CASO!
2. Evitar o constrangimento de cães "agarrando" em pernas ou braços de visitas. NUNCA ACONTECEU!
3. Evitar demarcação do território (xixi fora do lugar).TAMBÉM NÃO!
4. Evitar agressividade motivada por excitação sexual constante. AGRESSIVIDADE? NÃO MESMO!
5. Evitar tumores testiculares.ESSA É UMA BOA! HÁ QUE SE VER A RECORRÊNCIA DA DOENÇA PARA VER CUSTO-BENEFÍCIO.
6. Controle populacional, evitando o aumento do número de animais de rua.É UM ARGUMENTO IMPORTANTE.
7. Evitar a perpetuação de doenças geneticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxofemural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças transmissíveis aos descendentes). TAMBÉM UM FORTE ARGUMENTO.

Se levarmos em conta quantas vezes um animal macho terá oportunidade de acasalar durante toda a sua vida reprodutiva, seria mais conveniente diminuir sua atração sexual pelas fêmeas através da castração. O animal "inteiro" excita-se constantemente a cada odor de fêmea no cio, sem que o acasalamento ocorra, ficando irritado e bastante agitado, motivando a fuga de muitos.
....
Por esse trecho, entendo que a excitação sexual constante e freqüente (libido em alta) foi explicitamente associada a 1)agressividade e 2) fugas freqüentes.
....
Há ainda o artigo Castração precoce, que diz o seguinte:

Nenhuma diferença de comportamento nas brincadeiras, caça, monta, dominância e guarda, ocorre em animais castrados, seja precoce ou tardiamente.
...
Realmente, Tula, vemos nesse trecho uma referência explícita ao fato de que a castração, independentemente do momento em que ocorreu na vida do cachorro, não provoca mudanças comportamentais no que diz respeito à brincadeiras, monta e dominância.
...
Logo, baseada no texto como um todo (do qual reproduzi apenas um trecho), trecho este que corrobora com o seu comentário aqui, realmente de nada adiantaria a castração no Aurélio para resolver os "problemas" que relatei.
...
A castração tem seu mérito, é largamente defendida e difundida nos nichos animais, mas certamente, para evitar esses probleminhas relatados em minha experiência, talvez não seja mesmo eficaz.
...
Em todo o caso, a minha sugestão para aquelas pessoas que têm dúvidas é procurar esclarecimentos quanto ao assunto e, principalmente, a orientação de um profissional veterinário.
...
Obrigada, Tula, pela excelente colocação!
Enriqueceu o debate!
Abraços!

Tula Verusca 20/03/2010 21:02  

Adriana,
Esses casos que vc citou:
5. Evitar tumores testiculares.
Nunca ouvi falar disso em caes que possuem os dois testiculos descidos..a maior probabilidade é em cães que nao desceram os testisculos (um ou os dois)

6. Controle populacional, evitando o aumento do número de animais de rua.
Se vc so tem o Aurélio e se vc não deixar, é impossivel ele emprenhar alguma cadela. Acho impossivel ele fugir da sua casa (ap) para se acasalar com outra femea ou escapar de vc na rua para consumar o fato. As pessoas idealizam demais a monta. Eu tenho um casal e eles passaram muito bem por um cio (que era o segundo e eu nao queria que cruzassem) sem rolar cruza indesejada..inclusive sai com ela para parques e a deixei solta e nenhum macho cruzou com ela.


7. Evitar a perpetuação de doenças geneticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxofemural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças transmissíveis aos descendentes).

Mesma coisa do anterior, se vc nao deixar ele acasalar nao tem como.

Eu acho que os riscos de uma cirurgia nao se justificam no caso do Aurélio...

Adriana Diniz 20/03/2010 21:32  


Querida Tula,

Obrigada mais uma vez por expressar sua opinião aqui. É enriquecedor.

Quanto aos tumores testiculares, no momento, o que posso dizer é que reproduzi um trecho do portal Web Animal, assinado inclusive por médica veterinária.

Essa observação foi ótima pois é apenas mais um exemplo de que devemos sempre investigar as informações antes de tomar uma afirmação como verdadeira (é o princípio da apuração no jornalismo e, na vida prática, da prudência).

Em relação ao controle populacional e a evitar a transmissão genética de doenças, concordo com você que, no caso do meu cachorro e neste momento, não tem o menor cabimento: ele vive em apartamento e só sai do ap. acompanhado por mim ou o Rodrigo e com guia!

No entanto, ambos os pontos são importantes se generalizados. No meu caso específico, não tem aplicação. Mas no caso da comunidade e em questão de saúde pública, tem sim.

Esclareço que o objetivo deste texto, em específico, foi relatar minha experiência (de passear com meu cachorro), dizer minhas conjecturas (está brincando, demonstrando dominância, com libido em alta) e falar que essa experiência levou-me a pensar na castração. Não tinha a pretensão de entrar no mérito da maneira de se socializar um cão nem entrar mais a fundo no tema da castração.

Relatar essa experiência aqui no blog mostrou-se muito proveitosa porque trouxe contribuições tanto no sentido da socialização (caso da Camilli) quanto no da castração (com você!). Pude ampliar meu entendimento e compartilhar publicamente essa troca de experiências e conhecimento com os leitores do blog.

Abraços!

Aline 12/05/2010 23:22  

a incidência de tumores de prostata em cães castrados e inteiros em um estudo não demonstrou diferenças significativas.. além do que n se vê muuito em clínicas isso

Adriana Diniz 13/05/2010 02:00  

Querida Aline, conte-nos tudo e não esconda nada! rsrs Você tem os links com o resultados desses estudos para compartilharmos aqui?

Aline 13/05/2010 16:06  

nesse link tem todas as referências.. é só procurar no google..
http://omundopet.blogspot.com/2010/04/castracao-em-pets-pros-e-contras.html
rs

Adriana Diniz 17/04/2011 14:25  

Como aumentar a libido do cão, pergunta a leitora Márcia, que entrou em contato pelo nosso "Contato".

Márcia, sugiro que procure orientação diretamente com um profissional veterinário.

A Márcia também disse ter ouvido recomendações para usar o Viagra para aumentar a libido de seu labrador.

Quanto a essa questão, recomendo que não dê nenhum tipo de medicamento para uso humano ao seu cachorro sem antes consultar o profissional habilitado, ainda mais o Viagra, que é um medicamento com uma série de contra-indicações até mesmo para os homens. Ao procurar um profissional, você evitará que seu labrador apresente problemas de saúde por dar medicação sem a prescrição veterinária.

Como está pensando em cruzar seu lavrador, também sugiro a leitura do seguinte post: 

http://www.blog.villechamonix.com/2008/10/criador-de-ces.html

(copie e cole na barra de endereços do seu navegador).

Espero tê-la ajudado. Um abraço, Adriana

Postar um comentário

Quer comentar? Sinta-se à vontade! Saiba como.

Atenção: comentários que não tenham nada a ver com o assunto tratado nos artigos serão rejeitados. Política de Comentários.

Made in Brasília, DF, BRASIL!

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR