14/06/2010

Fezes, cocô, caca, número 2

Não importa o nome, importa que você recolha, capisce*? Seis motivos que não podem ser mais desculpa para você deixar de recolher as fezes do seu animal. Confira! *Capisce: Termo italiano usado na gíria americana para dizer "entendeu" ou "compreendeu".

 

1. É nojento

É nojento sim, mas tenha força e coragem! Depois da primeira recolhida, a segunda e a terceira vão ficar mais fáceis. Eu garanto! Mesmo não tendo filhos (ainda), imagino que seja um bom exercício para que, na hora de limpar a bundinha do seu bebê, as coisas fiquem mais fáceis.

 

2. Tenho vergonha

Não tenha vergonha de fazer a coisa certa e use isso como uma oportunidade para vencer a vergonha e a timidez. Dê um passo de ousadia pelo simples ato de recolher o cocô. Tente! Em todo caso, se a vergonha for muita, acorde bem cedo ou passeie em horários que você sabe que existem menos pessoas na rua. Mas junte o “trocinho fedorento”!

 

3. Sinto preguiça

Já existem invenções legais para motivar você a sair do sofá. Mexa-se e inspire-se nessas invenções!

 

4. O cocô do meu cão aduba a terra

Se aduba ou não a terra, não sei. Sei que existe uma iniciativa, em Nova York, para transformar o cocô em adubo. Mas vamos combinar: ninguém tem que pisar no cocô do seu ou do meu cachorro!

 

A próxima vítima pode ser você!

 

5. O saco plástico não é ecologicamente correto

Tem razão. O saco plástico é uma opção quase sempre à mão, mas não é ecologicamente correto pois o plástico demora muito tempo para ser degradado pela natureza, cerca de mil anos. Existem outras opções, como o saco de papel para coleta de resíduos sólidos de cães Kata Kaka e Via Limpa (neste, cada kit contém um saco de papel + pá e cada pá suporta cerca de 500g de cocô):

 

 

6. O cocô do meu cachorro não pode transmitir doenças, pois ele é vermifugado

Vendo o cocô, eu não saberia dizer se o cão é ou não vermifugado. Um estudo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) apontou que 56% das fezes coletadas na cidade de Natal, entre junho e agosto de 2008, estavam contaminadas com parasitas que podem transmitir doenças ao homem. A professora e coordenadora da Pesquisa, Viviane Medeiros, do curso de Zootecnia, conta que, ao contrário do que imaginamos, até mesmo cãezinhos que moram em apartamentos podem ser transmissores de doenças:

 

Muitos donos acreditam que seus cachorros são limpos, mas todo animal, mesmo aqueles que moram em apartamento e só comem ração, pode ser portador de parasitas. Eles podem se contaminar até através da areia que o dono leva no sapato quando entra em casa. As crianças são as mais atingidas com os cocôs não recolhidos, pois elas brincam na rua e colocam a mão na boca, nos olhos.

Viviane Medeiros, professora zootecnista, em Estudo mostra importância de recolher fezes de animais domésticos, Agência Fotec

 

Fique atento: o cocô contaminado pode contaminar outros cães e causar o bicho geográfico no homem.

 

Leia também:

>> Especial coletor de fezes

>> Cuido realmente bem do Aurélio?

>> Cagada é não recolher


4 comentários:

cachorrando 14/06/2010 10:08  

Bom dia ! Tem selinho pra vc no blog !
beijos e boa semana ;)

Daniel Nakamura 14/06/2010 15:24  

Muito bom o post ! O primeiro passo é recolher, depois, as pessoas têm que aprender a jogar no lixo. Olha só anda acontecendo por aí:
http://sitedocookie.blogspot.com/2010/03/ignorancia.html

Excelentes os aparelhos recolhedores de bosta, hein ! Adorei...rsrs.

Bella 14/06/2010 16:36  

oi, tem selinho pra vc no Dias de Cão! beijinho!

Postar um comentário

Quer comentar? Sinta-se à vontade! Saiba como.

Atenção: comentários que não tenham nada a ver com o assunto tratado nos artigos serão rejeitados. Política de Comentários.

Made in Brasília, DF, BRASIL!

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR