28/06/2010

Não deixe a Leishmaniose fazer mais vítimas

Por acaso, encontrei uma cartilha sobre a Leishmaniose Visceral Canina (LVC), tema que, só recentemente, despertou minha atenção:

 

A cartilha é uma iniciativa da Secretaria de Saúde do Governo do Distrito Federal.

 

Totó: morto pela Leishmaniose Visceral Canina

Clara: Em tratamento contra Leishmaniose

Não deixe a Leishmaniose Visceral Canina fazer mais vítimas.

 

 

No Brasil, a sentença para cães comprovadamente acometidos pela doença é a eutanásia.

 

A LVC é uma doença totalmente tratável e curável clinicamente. Mas, assim como a grande maioria de doenças causadas por protozoários (ex: Doença de Chagas nos seres humanos), o portador (seja cão ou ser humano) geralmente não obtém a cura parasitológica.

A Organização Mundial de Saúde não recomenda a eutanásia como método de controle da LVC. O Ministério da Saúde brasileira, por sua vez, não aceita o tratamento nem reconhece ou recomenda a vacina, a despeito de países de primeiro mundo - como Espanha, França, Itália e Alemanha - tratarem seus animais regularmente.

A Constituição Federal do Brasil garante ao proprietário o direito a não sacrificar o seu cão, pois é sua propriedade. Se o Poder Público o fizer, poderá ser acionado por crime de Abuso de Autoridade (o servidor público) e ainda responder por danos materiais e morais, se assim o desejar o proprietário.

Extraído do Blog de uma criadora que ama seus frenchies

 

Para proteger contra a Leishmaniose Visceral Canina, existem vacina, coleira protetora e repelentes. Não vacile!

 

Desde que descobri a gravidade da doença, comprei coleira protetora.

 

Aplico permetrina semanalmente em meus cães. Não é uma coisa que faço com tranquilidade, mas não tenho muitas alternativas, residindo em Belo Horizonte. Prevenção de leishmaniose envolve esforços coletivos e individuais. Eu vacino meus cães, uso a coleira scalibor, permetrina semanal, protector nas tomadas, ventiladores pela casa e dedetização semestral. Já pensou que bom seria se todos fizessem isso?

Camilli Chamone, criadora de buldogues franceses


Leia também:
>> Prevenção de leishmaniose canina
>> Evite acidentes na utilização da cipermetrina
>> Qual vacina contra a leishmaniose usar?
>> Papo sobre leishmaniose com quem entende do assunto

2 comentários:

Camilli Chamone 28/06/2010 07:41  

Que legal ter despertado o seu espírito conscientizador! E você já está plantando as sementes... Não é à toa que eu te falo sobre os "privilégios"! :)))

Dudinha Nariz de Bolinha 28/06/2010 13:57  

Nousssaaa...

Não sabiamos que era tão grave assim...

Muito bom o post...

lambeijos

Postar um comentário

Quer comentar? Sinta-se à vontade! Saiba como.

Atenção: comentários que não tenham nada a ver com o assunto tratado nos artigos serão rejeitados. Política de Comentários.

Made in Brasília, DF, BRASIL!

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR