15/06/2010

Recolher o cocô = Conquistar vizinhança


O meu, ninguém pisa!

Tem gente que não gosta de cachorro e não é obrigada a gostar. Deixar seu cachorro sujar as vias públicas com cocô e não recolher é dar vez para que vizinhos, condôminos e cidadãos coloquem a boca no trombone e reforcem a antipatia pelos bichanos. Quer ver?

 

Estou cansado dos cachorros de Copacabana. Cansei de andar pelas ruas olhando para o chão. A Cinco de Julho, por exemplo, é um perigo. Quem passeia por ela tem de estar super atento o tempo inteiro. Bobeou, pisou na merda! Mas é na praia que o bicho pega - literalmente.

Andre Balocco: ele gosta de cães, só não gosta de pisar na m…, em Animais, tirem seus cachorros da praia

 

Este jornalista, há alguns anos, pela primeira vez, se desentendeu com um morador próximo que insistia em passear com seu cachorro logo cedo e o mesmo cismou em fazer suas necessidades em frente da residência. Somente quando este jornalista ameaçou deixar as fezes na frente da residência do dono do cachorro, ele mudou de trajeto. Mas, com certeza pela educação do rapaz, seu cachorro deve ter encontrado outra residência para fazer suas necessidades. Isso é parte da cultura do furar a fila em todas as oportunidades, de não respeitar a sinalização do trânsito, do parar na frente de garagem, do fazer barulho e incomodar os vizinhos.. É apenas mais um exemplo do pleno exercício da falta de educação e civilidade.

Extraído de Fezes de cachorro, saúde e educação

O ato de recolher as fezes denota:

- Preocupação com a saúde pública;

- Responsabilidade;

- Saber viver em sociedade;

- Respeito ao próximo.

 

Um vídeo da Globo, descoberto no Canina Blog,  retrata uma “blitz da cidadania” que percorre cinco capitais brasileiras, entre Rio de Janeiro, Recife, São Paulo, Cuiabá e Florianópolis, fazendo o teste do proprietário que, ao passear com o cachorro, recolhe o cocô nas vias públicas. O resultado já era esperado: muitos foram os proprietários pegos em flagrante por não recolher o cocô. Das cinco cidades visitadas, a população de Florianópolis foi a que mais recolheu as fezes do animal. Um programa mais humorado sobre o assunto, do CQC, também pode ser visto aqui.

 

Não corra o risco de ser chamado de "Animal” (no mau sentido). Brasília-DF.

 

Mostre que você é um dono consciente e responsável, recolhendo as fezes do seu cão. Não dê vez às críticas e ganhe a simpatia da vizinhança!

 

Leia também

Fezes, cocô, caca, número 2: não importa o nome, importa que você recolha!


13 comentários:

cachorrando 15/06/2010 08:32  

aqui na minha vizinhança é cheio de placas nos jardins , escrito " proibido cães" ou " proibido animais neste jardim" . as pessoas por aqui são muito mal educadas , não recolhem o coco , e os cães que pagam , perdendo a oportunidade de pisar nos unicos pedacinhos de grama que tem por esses lados . tinha que dar uma multa, e bem alta, porque esperar pelo bom senso já morreu de velho!

Adriana Diniz 15/06/2010 18:03  

Aqui em Brasília não é muito diferente! Mas vamos mudar isso: acho que só o fato de recolhermos o cocô do nosso próprio cachorro já gera um certo constrangimento nas pessoas!
Bianca, obrigada por sempre acompanhar o blog!

Camila RRS 15/06/2010 22:48  

Passear com o cachorro não tem jeito, é sempre esperar por um cocozinho em alguma parte do caminho.

Já comentei que tenho um poodle toy de nome Saquê. Desde pequeno o levo para passear, fazendo o mesmo percurso, aqui no bairro.
Confesso que ficava um pouco envergonhada quando via ele se preparando para fazer as necessidades, e as recolhia mais que rapidamente. Hoje, já não fico mais tão encabulada. Naturalmente me abaixo e recolho as fezes.
É muito chato pisar em um e o pessoal aqui no Paraná colabora para que isso não aconteça.
Apenas uma vez, no parque público da minha cidade, eu vi uma dona que não recolheu as fezes de sua cadelinha. Mas o "recolhimento" acontece normalmente por aqui.
Bom para nossos sapatos.

Ótimo post. Parabêns.

Denise,  16/06/2010 09:13  

Oi, Adriana! Achei seu blog ontem à noite e fiquei horas lendo. Lindo o seu Aurélio! Eu tb sou de Brasília e na sexta-feira chega o meu Shih Tzu, o Rubinho. Tô muito ansiosa e lendo bastante, trocando informações para que ele seja super bem cuidado. Eu vou escrever nos seus contatos para pedir algumas indicações, ok?
Parabéns pelo blog, amei!

Denise,  16/06/2010 09:26  

Esqueci de dizer: acho uma falta de consideração, educação e higiene de quem não recolhe o cocô do cachorro. Muitos donos fazem cara de paisagem e isso me enoja. O que custa pegar, né? Educação e respeito estão sempre na moda.
:)

Adriana Diniz 16/06/2010 14:06  

Camila, em termos de cães, tenho percebido que a região SUL do país é bem mais adiantada. Se bem que em muitas outras áreas também...! Obrigada pelo "ótimo post", isso alavanca a nossa moral!

Denise, como é bom saber que alguém ficou "horas lendo" nosso contéudo, produzido com tanto carinho! Eu vi sua mensagem e já te respondo, ok?!

Chegou um novo cãozinho, parabéns! Se puder, compre o livro "Ou eu ou o cachorro", da Victoria Stilwell: eu indico de verdade, é um manual e tanto para quem está adquirindo um cão. Veja um post sobre isso: http://www.auauaurelio.com/2010/06/olha-so-o-que-escolhi-de-presente-de.html. Ele não é mt barato, mas os esclarecimentos aprendidos poderão economizar dor de cabeça e dinheiro!

E a frase ficou perfeita: "Educação e respeito estão sempre na moda."

Bjos e seja muito bem-vinda!

Camilli Chamone 17/06/2010 10:19  

Muito interessante a edição da plaquinha na praça! :)

Helenita 30/07/2010 23:16  

Gente, isso é exagero. Primeiro que gramado não é considerado via publica. Acontece que as pessoas tem tratado os gramados como se fossem propiedades particulares e extremamente restritas. Desde que virou moda as placas de "Não pise na grama" que a imagem de gramados verdes e belos para se brincar no meio desse monte de cimento e asfalto foi por água á baixo. Recolher o cocô do seu cachorro do meio do caminho tudo bem, assim como não jogar semente de manga, miolo de maçã ou casca de laranja. Mas gramado minha gente... tudo isso que relacionei é adubo orgânico.
Os condomínios compram e pagam caro em adubos orgânicos e outros compostos do mesmo material para o qual torcem o nariz.
Daqui á pouco vão mandar matar os pássaros (como ja fazem com os pombos) porque estes sujam os carros de quem estaciona em baixo de árvores. Os gatinhos de rua ja são alvos de venenos que são deixados por aí.
Cuidado onças pintadas, cuidado foquinhas porque o mar é lugar de banhista e Elefantes... ts ts ts que vergonha. Melhor matarem todos para que nunca nenhum suje a terra e os calçados de quem passar.
Já de minha parte: Viva o adubo orgânico!! As plantinhas agradecem.

Adriana Diniz 31/07/2010 09:24  

Achei interessante sua reflexão sobre a confrontação entre a natureza e o habitat urbano. Tenho pensado sobre isso por conta de umas corujas... Perto da minha casa, já localizei 6 casinhas de corujas. Isso significa que por lá não posso passar com meu cachorro, se não, elas atacam:

http://www.auauaurelio.com/2010/04/de-corujas-e-caes.html

Na hora, eu penso: poxa, deveriam relocalizar algumas dessas casinhas de corujas para eu andar com um pouco mais de liberdade com o meu cão nos poucos passeios que tenho próximo à minha casa.

Mas esse pensamento me incomoda... a gente sempre querendo se favorecer em detrimento da natureza, né? Também acho que as decisões não podem ser pautadas apenas por esse caminho.

Quando ao adubo: até onde li para escrever essa matéria, cocô de cachorro "in natura", por assim dizer, não é considerado adubo orgânico.

E eu, particularmente, tenho dois motivos simples para que se recolha o cocô do cachorro, tendo ele sido feito na grama ou não:

1) Eu gosto de soltar meus cães na grama e andar por ali com eles: mas não gosto de pisar no cocô de cachorro e não gosto que meus cães pisem no cocô de cachorro (moro em apartamento).

2) Creio que o ato de recolher o cocô do cachorro é um exemplo de cidadania e respeito ao próximo. As pessoas, principalmente aquelas que não têm cães, acham bom, bonito, legal recolhermos o cocô. E isso acaba fazendo com que elas respeitem mais os donos de cães. Acho que recolher o cocô não custa nada e torna a convivência com a comunidade mais pacífica e saudável.

Por último, gramado em local público é público.

Gilberto Ulhoa 18/09/2011 21:15  

Eu estava pesquisando sobre essas coisas de cachorro, pois meus filhos me pediram um e estava mostrando para eles os cuidados e os deveres que temos que ter com o cachorro e para a sociedade naõ é verdade?
e encontrei um video muito legal que os fizeram rir mas lhe passaram uma importante messagem
http://temporadafora.com/vlog/episodio-2-campos-minados

Gilberto Ulhoa 19/09/2011 19:00  

tão fazendo uma série de animações sobre assuntos polemicos nesse site, esse dos cachorros é um deles, raxei de rir!!
http://temporadafora.com/vlog/episodio-2-campos-minados

Anônimo,  11/06/2012 11:30  

porque as pessoas não ligam para os proximos... se ligassem não jogavam lixo no chao, não deixavam caca de cachorro na calçada...ninguém é abrigado a gostar de sujeira

Pizoo 29/08/2013 11:49  

Adriana, veja que legal este produto que nossa empresa, a Pizoo desenvolveu: uma Pazinha descartável e reciclável justamente para ajudar nestes casos! Não tem mais desculpas para não recolher o cocô do cachorro da rua! http://www.pizoo.com.br/produto_pazinha.html

Postar um comentário

Quer comentar? Sinta-se à vontade! Saiba como.

Atenção: comentários que não tenham nada a ver com o assunto tratado nos artigos serão rejeitados. Política de Comentários.

Made in Brasília, DF, BRASIL!

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR